29 de abril de 2013

Som da Terra emociona o público em apresentação




A banda fez show nesta tarde nos Diários Associados no Projeto Vitrine




Nem a tarde chuvosa impediu o público de chegar aos Diários Associados na tarde desta segunda-feira para prestigiar a banda Som da Terra. O grupo se apresentou no Projeto Vitrine. Com o repertório composto por músicas de Luiz Gonzaga e Noel Rosa, o conjunto, que completa 40 anos de carreira em 2015, embalou a plateia fiel com as histórias do mestre Lula e as pérolas de Noel Rosa. 

Emocionado e feliz com a segunda participação no Vitrine, o vocalista Rominho agradeceu a presença do público e ofereceu o show ao recentemente falecido Gil Cordas. "Peço uma salva de palmas a esse artista maravilhoso", pediu o músico. 

Com direito a participação do  bailarino Flavinho, com o pé machucado, o show contou, principalmente, com o bom humor. A apresentação foi encerrada com a popular e ilustre Asa Branca.

Banda Som da Terra: Kaito (Voz e Violão), Wilson Pessoa (Voz e Bateria), Zé Carlos (Voz e Baixo), Rominho (Voz e Percussão), Doca (Guitarra), Roberto (Sax alto), Anderson Galindo (Sax Tenor), Adelson (Trombone) e Jacaré ( Percussão).




informações: Diário de Pernambuco

28 de abril de 2013

Atrás do Bloco - Autor e Intérprete Wilson Pessoa



Como havia dito na primeira postagem que escrevi, este blog também é um espaço onde poderei mostrar um pouco do meu trabalho como compositor e músico. Hoje, apresento a vocês, um frevo canção intitulado "Atrás do Bloco".

Esse frevo eu fiz quando estava olhando da janela da minha casa em Recife alguns blocos passarem e arrastando alguns foliões animados e percebi que muitos mesmo cansados se renovavam quando atrás dos blocos seguiam , ai pensei: o que a gente sente quando está pulando atrás de um bloco de carnaval? 
A letra veio junto com a melodia e antes mesmo do bloco passar o frevo já estava pronto. Esse frevo foi gravado pela Banda de Pau e Corda  e  mais recente pela Banda Som da Terra na qual faço parte e faz parte  do Cd  "Na terra ou no céu o maior Carnaval".

Para ouvir o frevo abaixo CLIQUE AQUI


Atrás do Bloco
música, letra e voz : Wilson Pessoa
Arranjo: Maestro Duda


Quando um  bloco passa
O que a gente sente 
É o calor da multidão
Toda a união amassa 
Qualquer tristeza em nossos corações

Muita energia frevando ao sol do meio dia
É sempre aquela alegria
O calor contagia você

Pernambucano pulando, vibrando, cantando
Nascendo, vivendo e amando
Recife o frevo é você



24 de abril de 2013

Festival Circo a Céu Aberto




Uma boa oportunidade de levar a criançada pra ver esse Festival Circo A céu Aberto, entrada franca, o projeto que deu início na quarta dia 24 vai até dia 28 de abril (domingo) no Parque da Jaqueira - Recife e Praça do Carmo - Olinda. O bom desse projeto é que além das apresentações circenses são também oferecidos: oficinas, bate papos e números variados que integram no evento.


Furo no Barco


Um Homem foi chamado à praia para pintar um barco. Trouxe com ele tinta e pincéis, e começou a pintar o barco de um vermelho brilhante como fora contratado para fazer. Enquanto pintava, verificou que a tinta estava passando pelo fundo do barco. Percebeu que havia um vazamento, e decidiu consertá-lo. Quando terminou a pintura, recebeu seu dinheiro e foi embora.
No dia seguinte, o proprietário do barco procurou o pintor e presenteou-o com um belo cheque. O pintor ficou surpreso:
- O senhor já me pagou pela pintura do barco!
- Meu caro amigo, você não compreendeu. Deixe-me contar-lhe o que aconteceu.
Quando pedi que pintasse o barco, esqueci de falar do vazamento. Assim que o barco secou, meus filhos o pegaram e saíram para uma pescaria. Eu não estava em casa naquele momento.
Quando voltei e notei que haviam saído com o barco, fiquei desesperado, pois lembrei-me que o barco tinha um furo. Imagine meu alívio e alegria quando os vi retornando são e salvos. Então, examinei o barco e constatei que você o havia consertado!
Percebe agora, o que fez!
Salvou a vida de meus filhos!
Não tenho dinheiro suficiente para pagar-lhe pela sua "Pequena" boa ação...

Medite sobre isso...

Não se Limite a fazer apenas o que esperam de você.
Não importa para quem, quando e de que maneira.

                                        Dê o Melhor de Si.
                                         
                                       Sempre!!!






Informações: foto e texto da internete

Forró na inauguração da Casa de Barro



Na poeira da sala de reboco
o sertão está sempre reunido



Numa casa de taipa no sertão
A parede de barro é rebocada
Com colher de pedreiro é inaugurada
Com a festa da "Grande Reunião"
A quadrilha se espalha no oitão
Depois dentro da casa no espremido
O xaxado ao deixar o chão batido
Bacamarte lá fora dá pipoco
Na poeira da sala de reboco
O sertão está sempre reunido

Beradeiro do Rio São Francisco
Quando tira da mala a concertina
Dá uma nota que agita a dançarina
Rodopia no vento e sai corisco
Chego perto da moça e lhe belisco
A cintura, ela olha, eu convido
Pra dançar no salão fui atendido
Dancei xote, baião, xaxado e coco
Na poeira da sala de reboco
O sertão está sempre reunido

Marcolino, cantou a experiência 
Que viveu numa casa do sertão
Pra mulher que tocou seu coração
Uma música, fez com grande essência
Constatou no final dessa vivência
Que o amor nele tinha florescido
Mas depois pelo tempo foi punido
Pois o tempo com os dois ficou bem pouco
Na poeira da sala de reboco
O sertão está sempre reunido


(Autor desconhecido)

Exposição de fotografias no Forte das 5 Pontas



O Forte das Cinco Pontas ganha novas perspectivas com a exposição 24 Olhares Sobre o 5 Pontas, que abriu ontem dia 23 de abril de 2013 para o público. 
  Ela ficará em cartaz no Museu da Cidade do Recife, no próprio forte, no bairro de São José.
A visitação pode ser feita até o dia primeiro de junho, de terça a sábado, das 9h. às 17h. As 24 fotografias que compõem o acervo foram tiradas pelos estudantes de Fotografia da Universidade Católica de Pernambuco, permitindo ao visitante e aos alunos um aprofundamento na história do Forte das Cinco Pontas,  além de visões pessoais e diferentes.
Elas foram tiradas após uma visita guiada pelo local.

informações: Destakjornal

22 de abril de 2013

Projeto Vitrine retorna com a Banda Som da Terra cantando Gonzaga e Noel


Com o espetáculo Rei e menestrel, Gonzaga e Noel, a banda Som da Terra promove uma conversa entre dois dos mais populares gêneros do país, o forró e o samba. O bate-papo do malandro do morro com o sertanejo valente se concretizou no ano passado, com as comemorações pelos 102 e 100 anos dos talentos, respectivamente. Na próxima segunda-feira, dia 29, o grupo pernambucano inicia a temporada 2013 do Projeto Vitrine, no auditório dos Diários Associados, a partir das 16:30h., apresentando a turnê.




"É uma homenagem diferente e ousada. Estamos propondo um dueto inédito na música popular brasileira", vende o vocalista Rominho Pimentel. Mais difícil do que interpretar os gênios no palco foi selecionar as músicas para o especial. "Idealizamos faixas que, na nossa concepção, seriam as melhores, embora seja difícil apontar". De Gonzagão, tem a já esperada Asa branca, Algodão, Vida de viajante Riacho no navio. Noel é lembrado por Fita amarela, Conversa de botequim Com que roupa?. Não há blocos separando músicas de um artista de outro. A cada dois forrós, entram dois sambas.


"A ideia é que um leve o outro pelo Nordeste, Sul e Sudeste, o que deve acontecer ao longo do ano, pois já estamos inscritos em alguns festivais, como os de inverno de Garanhuns (PE) e Ouro Preto (MG). Para 2014, o Som da Terra prepara um CD de carnaval e de São João. Os trabalhos serão adiantados para que a banda se dedique integralmente à produção comemorativa de seus 40 anos, datada para iniciar no dia 12 de julho de 2015. O novo trabalho já tem nome, Todas as faces, e vai compilar todos os anos de carreira. "Queremos voltar a ter uma projeção nacional com este trabalho", adianta o vocalista.


Embora o resgate da história do grupo esteja previsto para daqui a dois anos, a nostalgia já toma conta dos músicos. “Nossa trajetória foi de muito sucesso. Começamos com uma música que foi tema de novela, Terra de Lampião, e depois veio Balança o saco, uma faixa que nos fez vender 140 mil cópias em 60 dias do disco No meio do mundo”, lembra Rominho. A verdade é que o momento atual do Som da Terra pouca lembra o dos primeiros anos. O grupo costumava tocar em casas noturnas, como o No meio do mundo. Passou 13 anos fazendo as honras do bar. Com o crescimento da equipe (foi de 6 pessoas para 21), preferiu se reservar aos trabalhos de maior porte. Certo mesmo é que, há anos, o show termina balançando o saco.



A Banda Som da Terra é formada por Bequinho (safona e teclado) , Wilson Pessoa (Bateria e voz) ,Kaito (violão e voz), Jacaré (Zabumba e surdo) , Rominho (triângulo, Tamborim e Voz), Zé Carlos (Baixo e voz), Apolo Natureza (guitarra) e mais os músicos convidados: Anderson (sax tenor) , Roberto (sax alto), Matuto (trompete), Adelson (trombone) e Thiago Cebola (pandeiro).




Serviço:

Som da Terra no Projeto Vitrine
Onde: Diários Associados (Rua do Veiga, 600, Santo Amaro)
Quando: Segunda-feira (29), às 16:30h.

Informações: Diário de Pernambuco

Timbaúba, lembranças da minha terra


    Minha segunda postagem dedico a minha cidade natal Timbaúba, cidade onde morei até os meus 17 anos  com uma infância e adolescência maravilhosa junto a amigos que pareciam mais irmãos com  uma liberdade de dar inveja a qualquer criança da cidade grande. Hoje a cidade com 134 anos me faz recordar toda a minha trajetória de felicidade junto com a minha maravilhosa família e amigos que amo e que nunca vão sair do meu coração.

Wilson Pessoa

O território do atual município de Timbaúba pertencia à Capitania de Itamaracá, doada a Pero Lopes de Souza. A capitania estendia-se desde a foz do Rio Santa Cruz, ao Sul da Ilha de Itamaracá, até a Baía da Traição, ao Norte, numa extensão de 86 léguas de terra no litoral e, daí, atingia até o meridiano de Tordesilhas. No início, a economia era baseada na exploração do pau-brasil.

Em meados do século XVIII, chegaram, naquelas áreas, habitantes de Tejucupapo, de Goiana e do núcleo habitacional Igarassu.
Na primeira metade do século XIX, à margem direita do Rio Capibaribe Mirim, também conhecido como Rio das Capivaras, surgiu um núcleo populacional, onde havia uma feira. Nas proximidades do povoado, havia uma fazenda conhecida pelo nome Árvore de Espuma, pertencente ao português Antônio José Guimarães, que, além das suas atividades agropastoris, mantinha um estabelecimento comercial onde vendia tecidos e gênero diversos. Antônio José Guimarães, que havia conquistado posição de destaque na localidade, impôs a transferência da feira para o pátio de sua fazenda. Começou daí a formação de um novo povoado. Com auxílio da população, a esposa do fazendeiro fez construir uma capela em homenagem a Nossa Senhora das Dores.
Em 1873, no dia 28 de maio, por força da Lei 1 103, da Assembleia Provincial de Pernambuco, foi criada a paróquia. Com um crescente desenvolvimento social e econômico, os timbaubenses procuraram sua emancipação política. Esta foi obtida com a promulgação da Lei 1 363, de 8 de abril de 1879, assinada pelo presidente da província, Adolfo de Barros Cavalcanti, que criou o município e comarca de Timbaúba, sendo a povoação elevada à categoria de vila. 

Informações: Google

21 de abril de 2013

Um pouco sobre mim


É com alegria e satisfação que apresento a você o meu novo espaço: "O Blog do Wilson Pessoa" criado com muito carinho para que você acompanhe aqui um pouco mais sobre a minha carreira e a cultura pernambucana. 
Nasci em Timbaúba onde comecei estudando música no Colégio Santa Maria , formando uma Banda de Baile intitulada " Fruto Proibido" onde toquei até aos 17 anos idade na qual me mudei para a minha cidade adotiva Recife que amo de coração. No Recife, comecei a estudar bateria e harmônia no conservatório Pernambucano de música. Em 1985 fui convidado para tocar na Banda de Pau e Corda aumentando assim a minha criatividade e talento proporcionando uma maior experiência nas minhas pesquisas rítmicas da nossa cultura. No decorrer dos 18 anos de apresentações por todo o Brasil.  pude apurar e aperfeiçoar minhas composições falando dessa terra chamada Pernambuco. 
Hoje divido o meu tempo entre a Banda Som da Terra onde sou  Sócio , Baterista, Vocalista e Compositor, a empresa Iluminar Produções e agora como o mais novo Blogueiro da nossa Cultura pernambucana.

Este é um espaço onde você vai encontrar um pouco do que temos de melhor na nossa música, artes em geral , as cidades e seus encantos, nossa poesia e causos falando dessa terra chamada Pernambuco.

Seja bem vindo!

Wilson Pessoa